terça-feira, 22 de maio de 2012

TROPILHA VELHACA E BULDOGS NA ESTRADA


As 4 horas e 30 minutos da madruga, Tropilhas Kansas e Buldogs Speed estão saindo pra estrada, ainda é noite escura. 
Direção sul do estado, mais especificamente para a cidade de Dom Pedrito. 
Representando os Buldogs o Sr. Ratão e o representante da Tropilha Sr. Lefebvre. 
Os outros membros dos MGs amarelaram, ficaram com medinho de encarar a estrada. 
Pegamos um trecho com cerração, mas nada de mais. 
Existem dois tipos de passeio, com emoção e sem emoção, o nosso é com emoção. 
E não se preocupem tem mais emoção ao longo da viagem, tínhamos metas e horários nada rígidos a cumprir. 
A 1ª meta era chegar a Pântano Grande até o raiar do sol e conseguimos 1ª parada para descanso foi no pedágio do município. 
Uma rápida parada para fazer um pips esperto e tocar a viagem, nisso o sol já estava despertando nas nossas costas, mas continuava frio. 
Neste 2° trecho dois momentos inesperados, Ratão estava perto do acostamento e havia um desnível, não deu outra a roda da frente caiu e se não estava esperto Ratinho no chão. 
Mas felizmente nosso intrépido piloto teve sangue frio e conseguiu controlar seu veiculo. 
Alguns quilômetros depois eu, Lefebvre também fui conhecer o acostamento, só que dormi e a motoca se foi para direita, mas graças ao desnível que tinha acordei e foi a minha vez de ter sangue frio e ficar esperto consegui acordar a tempo e puxar a motoca para pista. 
Ratão assustado fez sinal para parar e perguntar o que houve: 
- Dormi! Respondi. 
Depois do susto resolvemos parar num para douro para tomar um café, jogar uma água no rosto e porque não descansar mais um pouco, afinal é uma viagem longa e cansativa. 
Mas viajar de moto é sempre bom, só quem tem moto e põe ela na estrada sabe o prazer que é rodar com a motoca, o vento no rosto, e um motociclista nunca vai perguntar se falta muito pra chegar ao destino. 
O destino é só uma desculpa pra andar com sua companheira de duas rodas. 
Durante a semana a nossa amiga Celeste tinha dito, “abasteça no último posto que fica a esquerda antes de pegar a estrada para Bagé.
” E o que foi que os dois abobado fizeram, abasteceram no último posto a direita que ficava uns três quilômetros antes da entrada da estrada para Bagé. 
Mas tudo bem rodando e aprendendo. 
Nesta estrada nada de mais aconteceu, só que é uma estrada chata, só tem campo e mais campo, de vez enquanto aparece um gado um rebanho de ovelhas. 
Depois de 250 quilômetros chegamos a Bagé onde paramos para descansar de novo e tirar fotos no pórtico, turista né, tira foto de tudo que vê. 
Bem de Bagè até Dom Pedrito mais 70 quilometros, não tem nada vamo embora mano a estrada nos chama. 
Depois de longos 70 quilometros chegamos ao nosso destino, 4° Festival Motociclistas de Dom Pedrito – RS, Moto Grupo Rota 293. 
Bem 1° onde estava o evento, achamos na praça da cidade. 2° onde fica o camping do evento, achamos é do lado da delegacia da cidade, 3° passo, montar acampamento, 4° onde nos íamos almoçar, pois já é 14h e ainda não almoçamos. 
Depois de pesquisar que os restaurantes estavam fechados, o que fazer, comer um lanche, foi o pior lanche que fizemos, um X tudo, Alface, cebola, ovo e a carne, não, melhor dizendo, guizado na chapa. Nunca tinha visto isso o X é com guizado e não com a carne prensada. 
Mas o guaraná estava bom.
Depois de dar uma volta pelo evento resolvemos voltar para o camping e descansar um pouco. 
Depois de um bom soninho estávamos pronto pra o evento. Depois do banho, voltamos a praça e qual era a preocupação, onde vamos jantar. 
Problema resolvido, por R$15,00 jantamos no evento mesmo e registramos os nossos MG e com isso ganhamos um troféu de participação. Ratão pelos Buldogs e Lefebvre pela Tropilha. 
Depois da janta demos uma olhada nas lojinhas, encontramos os amigo e voltamos pro acampamento. 
Não quisemos participar do baile. 
No acampamento conversamos um pouco com o pessoal e berço, no outro dia tínhamos a viagem de volta. Dormia como um anjinho e pelas 3h da manhã o pessoal que foi ao bate coxa estava chegando, só que pensavam que ainda estavam na festa, em outras palavras, acordaram o pessoal do acampamento. 
Mas os seguranças deram um jeito na situação rapidamente. 
Eu tive o azar de pegar um casal feliz, queriam e fazer coisinhas na barraca, o lesco lesco. 
Que raiva, quero dormir, vão pra casa, para um motel sei la mas me deixem dormir. 
Já dom Ratão tinha um vizinho tri, roncava e soltava outros sons de odor desagradáveis. 
E assim foi a nossa noite. 
Mas quando o soninho pegou não vi mais nada, pelas 5h da madruga acordamos, desmontamos acampamento, caregamos as motos com a bagagem e partimos em direção a Pelotas. 
Dom Pedrito a Pelotas 260 quilometros. 
Pra variar estrada era a mesma monotonia, de um lado campo e do outro mais campo e na nossa frente o sol se acordava e a noite ia se deitando. 
E debaixo do capacete a mente gritava por um café. 
Não havia um posto, um buteco de estrada, só tinha o nada na estrada. 
Eu só queria um café da manhã, depois de rodar mais ou menos uns 50 quilometros paramos num bar de posto, que cafezinho mais ruim e o pastel que pegamos para comer deu pra engulir. 
Mas como disse lá no inicio é um passeio com emoção, aventura MANO. 
Rodamos mais uns quilometros e chegamos a terra de Dom Mauro, Pelotas. 
Abastecemos as motocas, tomamos uma água e partimos em direção ao Grill, no município de Cristal, ali nos paramos de verdade, para almoçar, na verdade fizemos um lanche demorado, bem devagar, sem presa.
Depois de uma hora e meia, mais ou menos, voltamos para a estrada. 
Andamos até a Casa das Cucas, dali faltava pouca para chegar em casa, 65 Km. 
Nesta brincadeira foram dois dias e 1.000 Km de chão rodados. 
Mas foi um bom passeio, a distancia, que distancia, o passeio tava muito bom, ótimo. 
E assim foi nosso fim de semana. 
Motociclista vive a vida os outros sobrevivem na vida, ficam em casa vendo Faustão e tomando chazinho, coisa mais sem graça. 
A vida é pra viver, se for na estrada é muito bom junto dos motoparceros.

Roberto Lefebvre





Um comentário:

  1. Fernando Sauer dos Santos23 de maio de 2012 05:45

    Show de bola o passeio e ainda bem que não houve nenhum incidente nestes desníveis do acostamento....

    ResponderExcluir